SATURO – Condutividade Hidráulica Saturada

SATURO condutividade hidráulica saturada

Aproveite melhor cada visita de campo

Condutividade hidráulica saturada dá muito trabalho para medir em campo. E a medição no campo com infiltrômetro é apenas o começo. Ao voltar ao escritório, você precisa converter os dados brutos em condutividade hidráulica e taxas de infiltração.

Achamos que você deve gastar menos tempo em processos complexos de medição e mais tempo sendo produtivo. Por isso, automatizamos quase tudo com o SATURO.

Configure e ele faz tudo sozinho

O infiltrômetro de dupla carga SATURO faz quase tudo para você. É totalmente automatizado e não requer pós-processamento de dados. Instale o anel, conecte as mangueiras e aperte Iniciar. É simples assim. O infiltrômetro mede automaticamente as taxas de infiltração e a unidade de controle calcula a condutividade hidráulica saturada do campo (Kfs ) em tempo real.

SATURO condutividade hidráulica saturada em uso

Uma pessoa pode fazer tudo

Ao contrário dos sistemas de duplo anel, o infiltrômetro SATURO é projetado para uma pessoa transportar e configurar. Além disso, requer muito menos água, economizando uma tonelada de tempo e esforço. Como? O SATURO deposita água no solo e usa a pressão do ar para criar duas cargas de pressão diferentes. Ele usa uma bomba para manter automaticamente os níveis corretos de água. Chega de medir e ajustar constantemente. Ele opera sem supervisão, o que significa que você pode realizar outro trabalho de campo em vez de cuidar do instrumento. E você pode executar vários instrumentos simultaneamente, permitindo maximizar ainda mais a eficiência do seu tempo em campo.

Elimina adivinhação

Os infiltrômetros de anel simples e duplo requerem que você conheça – ou estime – o “fator alfa” (comprimento capilar macroscópico do solo) para corrigir manualmente o fluxo tridimensional. O infiltrômetro SATURO muda tudo. Ele automatiza o método bem estabelecido de dupla carga, que mede a infiltração em duas cargas de pressão diferentes, evitando a necessidade do fator alfa e permitindo determinar a condutividade hidráulica saturada no campo sem fazer nenhuma suposição duvidosa. E a melhor parte é que faz todos os cálculos para você, economizando horas de tédio.

Uma solução simples e precisa

O infiltrômetro SATURO combina automação e análise simplificada de dados em um único sistema. O SATURO torna a vida um pouco mais fácil para aqueles que precisam de uma maneira mais rápida e precisa de medir Kfs em campo.

Conheça também o KSAT, para condutividade hidráulica saturada em laboratório.

Artigo: Comparativo entre o SATURO e o duplo anel

SATURO condutividade hidráulica saturada em uso
  • Infiltrômetro totalmente automatizado
  • Capaz de medição autônoma
  • Valores de Kfs calculados e representados graficamente em tempo real, não é necessário pós-processamento de dados
  • Portátil
  • Inclui reservatório de água independente

Amplitude de taxa de infiltração

0,0038 cm/h a 115 cm/h

Resolução da taxa de infiltração

0,0038 cm/h

Precisão da taxa de infiltração

±5% da leitura

Nível de água

Mantido a 5 cm

Amplitude de pressão

0 a 40 cm

Temperatura de operação

0 a 50 °C

Adaptador de carregamento

18 V 2,2 Amperes; Faixa de 18 a 24 V DC Saída: USB

A amplitude de valores de Kfs que podem ser medidos de forma eficaz pelo SATURO é limitada pela taxas máximas de infiltração e mínima listadas acima. Elas dependem das cargas de pressão aplicadas à água durante a infiltração e das características tridimensionais do fluxo do solo, de modo que a faixa de medição de Kfs não pode ser especificada explicitamente. O SATURO geralmente será capaz de fazer medições em solos mal estruturados a moderados, mas a taxa máxima de infiltração pode ser excedida por solos com estrutura excessiva e especialmente por solos com macroporos significativos.

  • Faé, Giovani Stefani, Armen R. Kemanian, Gregory W. Roth, Charles White, and John E. Watson. “Soybean yield in relation to environmental and soil properties. ” European Journal of Agronomy 118 (2020): 126070. (Link do artigo).
  • Jahanzad, Emad, Brent A. Holtz, Cameron A. Zuber, David Doll, Kelsey M. Brewer, Sean Hogan, and Amélie CM Gaudin. “Orchard recycling improves climate change adaptation and mitigation potential of almond production systems. ” PloS one 15, no. 3 (2020): e0229588. (Link do artigo).
  • Norris, Charlotte E., G. Mac Bean, Shannon B. Cappellazzi, Michael Cope, Kelsey LH Greub, Daniel Liptzin, Elizabeth L. Rieke, Paul W. Tracy, Cristine LS Morgan, and C. Wayne Honeycutt. “Introducing the North American project to evaluate soil health measurements. ” Agronomy Journal, 2020. (Link do artigo).
  • Ebrahimian, Ali, Kristin Sample‐Lord, Bridget Wadzuk, and Robert Traver. “Temporal and spatial variation of infiltration in urban green infrastructure. ” Hydrological Processes, 2019. (Link do artigo).
  • Johnson, William C., Randy L. Stotler, Mark W. Bowen, Jude H. Kastens, Daniel R. Hirmas, Dakota J. Burt, and Kaitlin A. Salley. “Assessing playas as point sources for recharge of the High Plains aquifer, western Kansas. ” Prepared for US Environmental Protection Agency and Kansas Water Office. Kansas Geological Survey Open‐File Report 2 (2019). (Link do artigo).
  • Radinja, Matej, Ines Vidmar, Nataša Atanasova, Matjaž Mikoš, and Mojca Šraj. “Determination of Spatial and Temporal Variability of Soil Hydraulic Conductivity for Urban Runoff Modelling. ” Water 11, no. 5 (2019): 941. (Link do artigo).
  • Qin, Yu, Shuhua Yi, Yongjian Ding, Wei Zhang, Yan Qin, Jianjun Chen, and Zhiwei Wang. “Effect of plateau pika disturbance and patchiness on ecosystem carbon emissions in alpine meadow in the northeastern part of Qinghai–Tibetan Plateau. ” Biogeosciences 16 (2019): 1097-1109. (Link do artigo).
  • Ryan, Michael J. “Dynamic Green Infrastructure: Monitoring Long-term Changes and Improving Performance with Real-time Control and Machine Learning. ” PhD diss., Villanova University, 2019. (Link do artigo).
  • Whitman, Spencer K., and Ronald J. Breitmeyer. “Sensitivity of Percolation Estimates to Modeling Methodology: A Case Study at an Unlined Tailings Facility with Limited Monitoring Data. ” Mine Water and the Environment 38, no. 2 (2019): 294-309. (Link do artigo).
  • Zhang, Si-Yi, Isaac Hopkins, Li Guo, and Henry Lin. “Dynamics of Infiltration Rate and Field Saturated Soil Hydraulic Conductivity in a Wastewater-Irrigated Cropland. ” Water 11, no. 8 (2019): 1632. (Link do artigo).
  • Thomas, Matthew A., Benjamin B. Mirus, Brian D. Collins, Ning Lu, and Jonathan W. Godt. “Variability in soil-water retention properties and implications for physics-based simulation of landslide early warning criteria. ” Landslides 15, no. 7 (2018): 1265-1277. (Link do artigo).
  • Demirtas, Iskender. “Effects of Post-Fire Salvage Logging on Compaction, Infiltration, Water Repellency, and Sediment Yield and the Effectiveness of Subsoiling on Skid Trails. ” PhD diss., Michigan Technological University, 2017. (Link do artigo).

Hashtags: condutividade hidráulica saturada, solo saturado, capacidade de campo, água gravitacional, decagon devices, dual head, infiltrômetro dupla carga

SOLICITE UM ORÇAMENTO